sexta-feira, 18 de maio de 2018

Biografia - Abbe Antonio Benedetto [ou Benedito] Castelli

Beneditino italiano nascido em Brescia, professor de matemática em Pisa e Roma, tido para muitos como o pai da escola hidráulica italiana, em virtude de ter publicado Della misura delle acque correnti, o primeiro livro italiano sobre o assunto (1628). Adotou o nome de Benendetto após entrar para a ordem dos beneditinos (1595). Morou no monastério de Pásua (1604-1607) e foi um dos estudantes de Galileu. Após receber uma cópia do Sidereus Nuncius, em Brescia (1610), ele foi morar em Florença (1611) e passou a pesquisar em hidráulica junto a Galileu e por indicação deste tornou-se professor em Pisa (1613). Defendeu a teoria coperniana e tornou-se consultor do Papa (1626) para assuntos fluviais dos Estados Pontifícios e professor de matemática da Universidade de Roma. Em Roma publicou o importante trabalho em hidráulica, Della Misura dell'Acque Correnti (1628) um livro considerado marca da fundação da hidrodinâmica moderna. Também fez importantes descobertas em iluminação, assunto em que independentemente formulou a lei fotométrica, visão e formação de imagens e diafrágmas em telescópios. Também foi pioneiro em estudos sobre absorção diferenciais pelas diversas cores. Redefiniu o princípio da continuidade com a famosa lei de Catelli e morreu em Roma.

Biografia retirada de NetSaber

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Biografia - Abbe Jean Picard

Clérigo e astrónomo francês nascido em La Fleche, Anjou, que executou medições acuradas, em graus, dos meridianos e, subseqüentemente, calculou a circunferência do globo terrestre (1668-1670). Prior do Rille, em Anjou, tornou-se professor no Collège de France (1645) e foi um dos fundadores do Observatório de Paris, onde trabalhou (1667-1668) com Adrien Auzout (1622-1691) na construção de um telescópio com 38 polegadas de quadrante. Tornou-se membro fundador da Academia Real de Ciências da França (1666). Ao visitar o observatório de Tycho Brahe, na ilha de Hven, determinou sua longitude e latitude. Descobriu várias estrelas e fundou a Connaissance des Temps (1679) e continuou como seu editor até sua morte (1682), em Paris.

Biografia retirada de NetSaber

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Biografia - Alexandre III


Siena (Itália), inícios do séc. XII;
Civita Castellana (Itália) em 1181.

Canonista e teólogo ensinou na Universidade de Bolonha e foi autor de um comentário ao Decretum [Concordia discordatium canonum] de Graciano, canonista da mesma universidade, com o título Summa Magistri Rolandi. 

Cardeal em 1150, chanceler da Cúria Romana em 1153, agregou à sua volta o partido anti-imperial. Eleito papa em 1159, após a morte de Adriano IV, viu a sua eleição contestada pelo anti-papa Vítor IV, que era apoiado, como os anti-papas seus antecessores - Pascoal III e Calisto III -, pelo imperador Frederico Barba-Roxa e o partido imperial. Obrigado a abandonar Roma, refugiou-se em França e conseguiu fazer-se reconhecer papa legítimo pelos principais soberanos europeus: os reis de França, Inglaterra e Castela. Mas foi o apoio dos normandos do Sul de Itália e das comunas do Norte de Itália, da Padana (o vale do Pó), que lhe permitiram recuperar o prestígio e tornar-se, de novo, o ponto de encontro das forças anti-imperiais da península Itálica, comprovado pelo nome dado à cidade de Alexandria, edificada pela Liga Lombarda como desafio a Frederico e símbolo dos privilégios conseguidos d o Império. Após a vitória da Liga sobre Barba-Roxa, na batalha de Legnano em 1177, Alexandre foi reconhecido como o papa legítimo, mesmo pelo imperador com a assinatura da paz entre os dois potentados. Regressou a Roma em 12 de Março de 1179.

O pontificado de Alexandre III caracterizou-se pela energia com que foram prosseguidas as políticas reformadoras dos seus antecessores, iniciadas pelo papa Gregório VII a partir de 1073. Defensor da autonomia da igreja em relação ao poder laico, teve uma importante actividade política, que permitiu consolidar as relações com os potentados normandos do Sul, reconhecer a realeza de Afonso Henrique de Portugal em 1179 e impor uma dura penitência a Henrique II de Inglaterra, que tinha mandado assassinar Thomas Becket, arcebispo de Canterbury.

No 3.º Concílio de Latrão, reunido em 1179, convidou representantes da Igreja Ortodoxa, tentando a reunificação da Igreja Católica. O concílio condenou as doutrinas cátaras, preparando as perseguições  contra os albigenses.

Biografia retirada de Arqnet